Jovens, voltem e criem cá empresas

18 Fevereiro 2017 ' Sábado

Bruno Serdoura, 33 anos, um gestor financeiro que há dois anos se transferiu de Londres para Zurique, e Ricardo Pinto, 29, engenheiro baseado em Londres ao serviço de um conglomerado francês, depois de uma primeira experiência em Angola, são dois alvos potenciais de um programa da Fundação AEP para promover o regresso da comunidade (entre 30 e 40 mil) de jovens qualificados e talentosos que abandonaram o país. O programa acolhe dois movimentos, um dos quais (Elevar o seu Negócio 4.0), procura seduzir os jovens pelo lado do empreendedorismo, com projetos de raiz de alta intensidade tecnológica ou replicando negócios já existentes, conferindo-lhes escala e visibilidade. A fundação já fora um agente ativo na discussão pública da Lei de Bases das Migrações e quis manter a dianteira na mobilização da sociedade e na adoção de medidas concretas para promover o regresso e valorizar o contributo dos jovens qualificados através do programa Empreender 2020 — Regresso de uma Geração Preparada que decorrerá até ao fim de 2017. “É um desperdício não aproveitar a capacidade desta geração cheia de mundo e talentoâ€